Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
82 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55065 )
Cartas ( 21063)
Contos (12134)
Cordel (9570)
Crônicas (21231)
Discursos (3108)
Ensaios - (9913)
Erótico (13137)
Frases (39994)
Humor (17551)
Infantil (3565)
Infanto Juvenil (2309)
Letras de Música (5414)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135739)
Redação (2875)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2374)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4207)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Infantil-->Uma janela para o céu -- 11/06/2017 - 09:47 (Adalberto Antonio de Lima) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos











Tinha medo do homem que cada menino constrói dentro de si, a partir da interação com brinquedos monstruosos. Não gosta dos filmes de terror, e recorda-se com tristeza de seus sonhos, habitados por pesadelos com criaturas diabólicas que via na telinha da TV.  “Monstro é criação de mente doentia: diabinhos que o autor transfere em forma de imagem para livros e filmes."
 Se é verdadeiro dizer que os sinais sonoros e visuais abrem as cortinas  do terror e do medo; é também verdadeiro afirmar que este  mesmo conjunto de imagem e som leva a atitudes e condutas de acordo com a percepção de mundo, em torno do qual orbitam os cinco sentidos do corpo. E pela primeira vez, a boneca de pano teve sentimentos humanos: desejou ser a rainha das  bonecas, ter muitos súditos e grande exército para combater o inimigo que lhe perturba o sono.
— Quero ser como Bobby que não tem medo de nada.
—  Os homens escondem seus medos, quando estão diante das mulheres — disse Ravenala — faça o teste: quando Bobinho disser que não ter medo, olhe os lábios dele. Se tremerem em leve contração está mentindo.
— Não são mais os olhos a janela do coração? — Quis saber Emília.
— O rosto é  o lado externo do coração; os olhos, ambos os lados; mas são os lábios que escondem ou revelam a verdade.
Teve vontade de dizer que o coração do homem modifica seu rosto, para o bem ou para o mal. Mas de que valeriam essas coisas? afinal, Emília é apenas uma boneca de pano.
Insistiu, assim mesmo.
— Se estás alegre, desfruto do teu regalo, mas, quando te vejo triste, meu coração também se entristece. E assim, no decurso do meu dia, transmitirei alegria se meu coração estiver em paz ou disseminarei terror se o coração estiver mergulhado no medo.
Como evangelizar por meio dos brinquedos, Ravenala não sabia. Então pensou em construir uma boneca com duas faces: um rosto feliz  e outro triste. E reprovou seu projeto: “Melhor fazer duas bonecas: uma triste e a outra feliz. Quando estivesse triste, brincaria  com a boneca triste... Mas isso não a levaria a entristecer-se mais ainda?” E ficou triste só de pensar que os meninos brincam com criaturas monstruosas, e têm suas noites perturbadas por pesadelos. Então, porque não produzir bonecos à imagem e semelhança de santos? Assim, os meninos sonhariam com anjos, e não com demônios fazendo diabruras em suas mentes.”
***

Adalberto Lima, fragmento de Estrela que o vento soprou.
Imagem: Internet








 






Enviado por Adalberto Lima em 11/06/2017

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 123 vezesFale com o autor